terça-feira, 29 de março de 2011

O Avental do Aprendiz Maçom

Esteio, 31 de outubro de 2010

Grande Oriente do Rio Grande do Sul
Loja Luz, Vida e Amor

Avental do Aprendiz Maçom

Venerável Mestre
Irmão Primeiro Vigilante
Irmão Segundo Vigilante
Caros Irmãos

Quando da solicitação que eu fizesse um trabalho sobre o porquê da abeta do Avental do Aprendiz Maçom ser levantada, feita pelo Irmão Primeiro Vigilante, pensei ser uma tarefa fácil e mentalmente pensei em dizer que a mesma era usada assim para proteger o coração do Aprendiz, recém chegada à Loja, suscetível a deslizes da vida profana, em relação ao avental usado na Maçonaria Operativa, usado para proteger o Aprendiz de lascas de pedras brutas no labutar de transformá-la em pedra polida.
Mas só isso não servia para mim, eu queria mais, eu vi que podia mais e, devidamente vestido de meu avental, pelo menos em pensamento, parti em busca de mais respostas e aprofundamento para este trabalho.
Claro que nos dias atuais, esta tarefa tornou-se um pouco menos difícil no que tange ao acesso de informações, mas muito mais difícil em agrupá-las de modo a ser recolhida, filtrada e transmitida a todos os irmãos.
Iniciei meu trabalho procurando a origem do Avental na Maçonaria e aqui cabe uma interpretação particular que acredito deva me seguir por toda minha vida maçônica que iniciou ao meio dia e terminará, penso eu, com minha passagem desta vida, ou seja a meia noite completa. Dedução que faço dos trabalhos maçônicos que iniciam ao meio dia e terminam à meia noite, isto é, como se nossas vidas fossem limitadas a um dia, até o meio dia foi minha vida profana, ao meio dia em ponto fui iniciado e a partir daí, minha nova vida, dedicarei meu tempo ao conhecimento, à razão, aos ensinamentos maçons que, espero eu só findem com minha troca de plano, que ocorrerá à meia noite.
Quero dizer com isso que a interpretação de simbolismos, de ritos seguirá minha vida a partir de agora e estas interpretações, deverão ser feitas em todos os momentos de agora em diante, claro que com o acompanhamento e orientação dos Companheiros e Mestres, mas de nada adiantará se não tiver meu pensamento engajado em tudo isso.
Dito isso posso continuar a vagar em informações e aceitá-los desde que minha própria razão esteja de acordo.
Voltamos ao Avental. Para isso devo ir além da Maçonaria Especulativa, além da Maçonaria Operativa. Quem foi, para muitos estudiosos, o primeiro Maçom? Devo dizer que me seduziu a idéia de que o primeiro Maçom foi Adão, pois quando criado pelo G.’.A.’.D.’.U.’., vivia ele em grande contemplação, em verdadeiro êxtase, vivia em união com Deus, momento em que a alma se funde com Deus. Quando ele foi “tentado” pela serpente, que para os hindus é o símbolo da razão, e para a própria igreja Cristã primitiva simbolizava a vitória de Cristo sobre o Demônio, como foi mostrado no deserto quando o mesmo vagou para jejuar e orar, na verdade ele foi convidado, foi chamado à razão, tirando-o do estado de êxtase e trazê-lo ao conhecimento da realidade, uma vez que sozinho ele não aprenderia nada, mas provando da árvore da vida ele teria condições de conhecer a verdadeira vida, conhecendo o Bem e o Mal. A partir daí, também simbolicamente, adotou uma folha de parreira que é, para muitos, o primeiro avental.
Outra simbologia sobre isso foi que Deus criou o Homem no sétimo dia, no término de sua criação e foi considerada sua obra perfeita. Na ciência dos números, o número 4 representa a matéria, Adão foi feito de terra vermelha, matéria. O número 3 representa o espírito, o sopro divino que deu vida a Adão. A soma é 7, um número perfeito, sagrado, muito estudado na Maçonaria. Significa dizer que o Homem, o sétuplo ser, a mais dileta das obras do G.’.A.’.D.’.U.’..
O Avental do Aprendiz Maçom também leva consigo este número, pois é composto comumente por um quadrado, ou retângulo, 4 lados, encimado por um triângulo, 3 lados, que na soma completam o número 7.
A abeta levantada no Avental do Aprendiz tem um significado material, pois na Maçonaria Operativa, servia para proteger seu peito quando o mesmo carregava as pedras para serem trabalhadas e no trabalho, protegia seu peito das lascas das pedras que o malho e o cinzel arrancavam da pedra bruta no trabalho de moldá-la, na realidade além de proteger fisicamente o corpo do Aprendiz já que normalmente era feito de couro de ovelha, servia também para proteger suas roupas. Já na Maçonaria Especulativa ou Moderna, tem um significado místico. A parte triangular, 3 lados, representa a parte espiritual, e a parte retangular, 4 lados, representa a parte material, como o Aprendiz ainda não é capaz de separar a vida espiritual da material, estas partes ainda não estão ligadas, estão separadas por um cordão, que também separa o corpo de quem usa o avental, da cintura para baixo é a parte material, procriadora, da cintura para cima, está a parte sensitiva, espiritual, que guarda o centro das forças.
O Avental do Aprendiz Maçom deve sempre ser usado com a abeta ou aba levantada, pois esta serve para proteger o chakra localizado na região do plexo solar, serve também para lembrar o Aprendiz Maçom que a parte espiritual (triangular) deve sempre estar acima da parte material (retangular).
Há algumas controvérsias no que tange a origem do Avental, mas é um legado da Maçonaria Operativa deixado para a Maçonaria Especulativa ou Moderna, mas seu significado para um Maçom é sempre a mesma, ligada intensamente ao trabalho que o mesmo deve exercer para seu aperfeiçoamento. É o símbolo do trabalho na construção do templo interior e símbolo das tarefas que devem ser cumpridas para o aperfeiçoamento de todo o Maçom.
Também é o símbolo do iniciado Maçom, representando sua prontidão para o trabalho e é o primeiro símbolo que o Novo Maçom recebe em sua iniciação com a instrução de que o mesmo deve SEMPRE ser usado em Loja, pois verdadeiramente é a vestimenta do verdadeiro Maçom.



Marcos Antonio Peruzzolo
Aprendiz Maçom

Um comentário: